Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo
Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento.Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

ACÁCIA FALSA

Robinia pseudoacacia

Árvore originária dos Estados Unidos, considerada uma espécie invasora, bem adaptada aos climas temperados de todo o mundo, pode ser usada em caso de espasmos.

Descrição : Planta da família das Fabaceae, também conhecida como acácia para sol.

Com um tronco de até 0,8 metros de diâmetro (excepcionalmente até 52 metros de altura 1 e 1,6 metros de diâmetro em árvores muito antigas), com espessura, profundamente enrugado enegrecido na casca.

As folhas são de 10 à 25 centímetros de comprimento, pinadas, com 9 à 19 folhetos , 2 à 5 centímetros de comprimento e 1,5-3 centímetros de largura.

Cada folha tem geralmente um par de espinhos curtos na base, 1 ou 2 milímetros de comprimento, ou ausentes nos tiros coroa adulto, até 2 centímetros, em plantas jovens vigorosas.

A intensamente perfumadas flores são brancas, ter em pêndulos racemes 80 à 20 centímetros de comprimento, e são considerados comestíveis.

O fruto é um legume 5 à 10 cm de comprimento, contendo 40 à 10 sementes.

Parte utilizada: Folhas, flores.

Origem : É nativa do sudeste dos Estados Unidos, mas tem sido amplamente plantadas e naturalizados em outras partes temperadas da América do Norte, Europa e Ásia e é considerado uma espécie invasora em algumas áreas.

A frequência utilizada é menos comum nome falsa Acácia, que é uma tradução literal do epíteto específico.

Foi introduzida na Grã-Bretanha em 1636.

acacia-falsa

Princípios Ativos: Asparagina, acacetina, açúcares, alcaloides, álcool benzoico, alfa e beta-terpineol, amigdalina, aminoácidos (arginina, ácido glutâmico, asparagina), apigenina, benzaldeído, beta-sitosterol, cálcio, canavanina, carotenos, farnesol, fibras, flavonoides (dihidrorobinetina, robinina, robinitina, robtina, liquiritigenina, robteína, fustina, butina, buteína e fisetina), fósforo, gorduras, heliotropina, indolina, kaempferol, linalol, metil-antranilato, nerol, siringina, tanino, proteínas, urease

Propriedades medicinais: adstringente, colagogo, diurética, emético, emoliente, laxante, sedativa, tônica.

Indicações:

Flores: espasmos e dispepsia.

Folhas: problemas digestivos.

Contraindicações/cuidados: Deve ser usada com cuidado e nas doses recomendadas pelos médicos e especialistas. As folhas e as raízes são são tóxicas (robinina e derivados).

Efeitos colaterais: O uso externo pode causar reações alérgicas.

O uso das folhas e das raízes de forma incorreta provoca secura na garganta, dores abdominais, dilatação das pupilas, vertigem, contração muscular e arritmia cardíaca, podendo levar à morte.

Bibliografia :

Elizabete Marchante, Helena, Guia Prático para a Identificação de Plantas Invasoras de Portugal Continental, Imprensa da Universidade de Coimbra, 2008.


Dieta  de 21 dias